Dança e artesanato no Outubro Rosa do Caron

O vestir rosa em Outubro tornou-se uma tradição para alertar e conscientizar o mundo inteiro para a luta contra o câncer de mama. O movimento reforça a importância da detecção precoce para vencer a batalha contra a doença. A trajetória do tratamento exige esforço e dedicação física das pacientes e também das famílias. Pensando na humanização do tratamento, o Hospital Angelina Caron, que atende mais de 280 mil pessoas pelo SUS todos os anos, realiza na terça-feira, 31, o encerramento das atividades de conscientização sobre o câncer de mama.
O cronograma de atividades prevê apresentações de dança, entrega de anjos de tecido produzidos por mulheres da comunidade, entrega de lenços, batons e muito carinho. Vale lembrar que o câncer de mama é o tipo mais comum em mulheres do Brasil e do mundo, mas com grande chance de cura se detectado no início.
A assistente social do Hospital Angelina Caron, Beatriz Paternoster, reforça a importância das ações para a evolução do tratamento e a conscientização sobre o tema. “O envolvimento das voluntárias na produção de anjos, entrega de lenços e batons, além da doação de muito carinho e amor promovem o bem-estar das mulheres em tratamento. O alerta e a conscientização para o câncer mais comum entre as mulheres devem ser diários no autoexame, em conversas com os médicos e ao procurar um especialista.”
Serviço
Quando: 31 de outubro de 2017, às 13h
Onde: Rodovia do Caqui, 1150, Campina Grande do Sul, Paraná
Mais informações pelo telefone (41) 3679.8100
Descrição: Hospital Angelina Caron encerra ações para o “Outubro Rosa”

Sobre o Hospital Angelina Caron
O Hospital Angelina Caron está localizado na cidade de Campina Grande do Sul, na Grande Curitiba (PR). De caráter eminentemente social, o local é um centro médico-hospitalar de referência no Sul do País e um dos maiores parceiros do Sistema Único de Saúde (SUS) no Paraná. Recebe, anualmente, mais de 350 mil pacientes de todo o país, dos quais 95% pertencem ao SUS. Atua em todas as vertentes da medicina e é um centro tradicional de fomento ao ensino e à pesquisa. O setor de transplantes é um dos mais destacados, reconhecido internacionalmente, com cerca de 250 procedimentos por ano nas áreas hepática, renal, reno-pancreática, cardíaca e de tecidos corneanos.

Veja também

Deixe um comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *